Viajar sozinha – relato de uma experiência a solo pelo Myanmar

Olá!!! Eu sou a Vera e sou a autora do blog Tips2Trips.

Uma das perguntas mais frequentes que me fazem é: Não tens medo de viajar sozinha? Como é que fizeste?

Este post serve para esclarecer algumas das dúvidas e para vos fazer perceber que viajar sozinha tem muitas coisas positivas e não é tão difícil como parece!

Já fiz várias viagens sozinha. Aliás, comecei por viajar sozinha, mas com objetivo de realizar cursos ou ir a eventos onde sabia que iria encontrar mais pessoas a viajar sozinhas também e com o mesmo objetivo que eu, o que torna as coisas muito mais simples.

Umas das viagens a solo que mais me marcou e na qual tive uma preparação prévia mais cuidada foi o Myanmar (Birmânia)!

Já tinha ouvido falar do Myanmar, os poucos viajantes que por lá tinham passado, enalteciam o facto de ser um país puro, natural, sem as grandes cadeias de McDonald’s ou Starbucks, sem passeios turísticos, tour organizadas ou hotéis com “tudo incluído”. Este aspeto deixava-me muito curiosa, queria absorver toda aquela vida e cultura e principalmente, perceber como estava aquele país que por tantos anos tinha estado sob ditadura.

Quando o Myanmar começou a abrir fronteiras a estrangeiros, incluindo vistos para Portugueses, decidi que tinha que lá ir antes que fosse invadido por todos os turistas que se veem nos restantes países do Sudeste Asiático.

Pic by Tips2Trips

Um grupo de amigos estava a planear ir visitar o Sudeste Asiático e eu sugeri juntar-me ao grupo e que fossemos também ao Myanmar…. A ideia foi rapidamente esquecida pelo grupo, pois a ideia geral era visitar aqueles locais dignos de postais e que se vê nos filmes…

Eu não podia deixar o meu objetivo cair por terra, e não seria por falta de companhia que deixaria de ir a um sítio com o qual já sonhava há tanto tempo. Então, parti mais cedo que o resto do grupo e rumei sozinha para o Myanmar.

O que mais me preocupava quando estava a planear a tão ansiada viagem prendia-se com o facto de não haver praticamente informação nenhuma sobre o país, já que acabava de ser aberto a turistas. As poucas informações que encontrava online eram antigas e diziam que não havia rede de telemóvel nem multibancos, o que para turistas pode ser preocupante :/

Pic by Tips2Trips

Fiz a reserva dos Hostels através do Booking para as primeiras noites em “Yangon” (onde ia aterrar) e para a cidade mais emblemática “Bagan” onde sabia que iria de certeza, e onde o alojamento era escasso e tinha que garantir a minha dormida. As últimas noites deixei em aberto para poder adaptar a minha viagem e ficar mais ou menos tempo em algum local. Quando o plano já estava mais ou menos traçado, criei um ficheiro com a descrição do meu trajeto, alojamento e quando iria estar em trânsito entre cidades e partilhei com a família e amigas mais chegadas. Assim saberiam se era normal ou não, estar sem responder às mensagens ou chamadas, toda a gente ficaria mais descansada!

Optei por reservar sempre Hostels, pois assim iria conhecer outros viajantes sozinhos. A minha experiência com Hostels pelo mundo foi sempre muito positiva e no Myanmar não foi exceção.

Optei por fazer as viagens entre cidades de autocarro noturno, pois assim aproveitava melhor os dias e poupava dinheiro na estadia. Através do Facebook consegui fazer uma pré-reserva das viagens de autocarro, o que significava que havia internet em alguns sítios J

Levei dois cartões multibanco de bancos diferentes e avisei o meu banco que iria estar no Myanmar, porque podia haver algum bloqueio da conta. Para além disso, levei algum dinheiro em cash (no Myanmar apenas são aceites dólares pristine, mas aceitam Euros.

Pic by Tips2Trips

Viajar sozinha não é difícil desde que vamos com pensamento positivo e abertos a conhecer pessoas e fazer novas amizades.

Na minha viagem ao Myanmar a aventura começou logo no avião, pois apenas 3 pessoas (comigo incluído) eram estrangeiros, os restantes passageiros eram todos Birmaneses. Como é óbvio, fizemos logo contacto e partilhamos o táxi para o centro da cidade de Yangon.

Pic by Tips2Trips

Ainda na capital, fomos os 3 andar no comboio circular pela cidade e mais uma vez eramos os únicos estrangeiros por ali. Apesar de a maioria das pessoas não falar Inglês, todos foram muito simpáticos, tentando ceder o lugar para nos sentarmos e oferecendo ou vendendo frutas. As crianças ficavam sempre um pouco assustadas no inicio, pois eramos estranhos para eles, mas assim que sorríamos, tornavam-se uma simpatia também.

Pic by Tips2Trips
Pic by Tips2Trips

Os Birmaneses são pessoas muito simpáticas e claro que o nosso Cristiano Ronaldo servia sempre como alavanca de conversa quando dizia que era Portuguesa! A pessoa que mais me emocionou foi um vendedor, que depois de me mostrar todo o mercado e também a sua loja de tecidos, eu perguntei qual o preço dos tecidos, e a resposta foi simplesmente: “não quero que me compre nada, apenas que me dê o prazer de estar a conversar consigo”. Ofereceu-me um chá e chamou os colegas da loja ao lado para nos acompanharem.

Pic by Tips2Trips

Em Bagan cheguei por volta das 5h da manhã ao hostel, e não podia fazer o check in no quarto ainda. A reação dos restantes hospedes na receção foi imediata: “aluga uma mota e vem connosco ver o nascer do sol”. Logo eu, que nunca tinha conduzido moto na vida! Mas lá me aventurei e rezei para não cair no meio da escuridão. Ou seja, mal tinha chegado ao hostel e já estava a conhecer um grupo enorme de pessoas, que me levaram a ver o nascer do sol mais espetacular de sempre.

Pic by Tips2Trips
Pic by Tips2Trips

No Inle Lake estive apenas um dia/noite, mas também conheci pessoas tão simpáticas que fizemos o passeio de barco em conjunto e que, depois da viagem ao Myanmar, voltei a rever/encontrar noutra das minhas viagens.

Pic by Tips2Trips
Pic by Tips2Trips

Viajar sozinhxs faz-nos comunicar mais com as pessoas, sair da nossa zona de conforto, abrir horizontes e ter diferentes perspetivas do mundo. Acreditem que depois de fazerem a primeira viagem sozinhxs, vão querer repetir 😉 Partam com energia positiva e mente aberta, comuniquem muito e falem com toda a gente que se cruzar nos vossos caminhos…. E claro, sigam o vosso sexto sentido! Quando alguma coisa parecer estranha, não se deixem enganar.

Nunca deixem de fazer a viagem dos vossos sonhos por falta de companhia!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *